Confiança e tomada de decisão

08/02/2020
Inovação e ciência
Relatório Anual 2019

Uso interdisciplinar

Plasma e produtos derivados do plasma são usados por uma variedade de especialistas médicos no tratamento de pacientes em estado crítico, incluindo anestesiologistas, intensivistas e emergencistas.

Saiba mais sobre a história de Gennadiy Galstyan

Todos os dias, em todo o mundo, acontecem tragédias devido a eventos naturais ou provocados pelo homem e vítimas em massa gravemente feridas, muitas vezes acabam em unidades de terapia intensiva (UTIs) de hospitais. Ao mesmo tempo, todos os dias também há pacientes em condições de risco de morte em tratamento na UTI. Há muito pouco tempo a perder. Confiança mútua, tomada de decisão rápida sob pressão e excelentes habilidades médicas, são essenciais para especialistas e outras equipes médicas nos departamentos de UTI.

Gennadiy Galstyan, MD, PhD, que chefia o Departamento de Terapia Intensiva no Centro Nacional de Pesquisa de Hematologia na Rússia, nos fala sobre seu dia de trabalho e sobre seus desafios pessoais e sucessos na melhoria do atendimento ao paciente.

Motivado a ajudar

Você pode pensar que ver dezenas - até centenas - de pacientes todos os dias esgotaria a energia mental e psicológica necessária para qualquer tipo de reflexão pessoal. Mas, em seus 30 anos de carreira, cada experiência parece ter ensinado a Gennadiy Galstyan algo novo e o motivado ainda mais e ele nunca parece ter se cansado de cuidar de pacientes. Todas as manhãs, ele diz a si mesmo: “Acho que é uma grande honra ser médico e ver a vida de nossos pacientes anos depois.””. Na prática, para o Professor isso significa sempre dar o seu melhor, para que “no final das contas eu possa dizer, 'sim, você fez bem'”.

“Acho que é uma grande honra ser médico e ver a vida de nossos pacientes anos depois.”

Como chefe do Departamento de Terapia Intensiva, suas habilidades são constantemente testadas. “Havia um menino, quase 30 anos atrás. Naquela época, ele tinha quatro anos e sofria de leucemia aguda. Eu o transferi para a UTI”, lembra vividamente o professor Galstyan. “Foi um momento muito difícil para toda a família. O menino estava em estado grave ”, completa. Toda a equipe fez de tudo para estabilizar a criança e oferecer o melhor tratamento para ela. A leucemia precisa de tratamento contínuo por até três anos, ou pode voltar. Ele lembra que “não tínhamos certeza se ele sobreviveria”. Mas ele fez - e Gennadiy acrescenta que agora ele cresceu e se tornou um jovem com uma carreira impressionante como advogado renomado na Rússia. Ele fica orgulhoso quando um paciente que ele tratou agora está vivendo uma vida gratificante: “Acho que é uma grande honra ser médico e ver a vida de nossos pacientes anos depois”.

Gennadiy Galstyan, MD, PhD, chefia o Departamento de Terapia Intensiva do Centro Nacional de Pesquisa de Hematologia na Rússia.

UTIs do futuro

O professor Galstyan pode relembrar as grandes melhorias que foram feitas no número e na qualidade das UTIs no país durante as últimas três décadas, desde melhorias nas tecnologias de suporte à vida até tratamentos terapêuticos. A expectativa da vida foi estendida como resultado de amplas descobertas em tratamentos de cuidados intensivos. Como lembra Gennadiy, 30 anos atrás, choque séptico em pacientes neutropênicos não era um diagnóstico, era uma sentença de morte. “Foi a mesma situação com a ventilação mecânica. Hoje, metade dos pacientes tratamos com sucesso”, afirma. Ele espera que os avanços médicos e científicos continuem a aumentar e que os médicos possam tratar a maioria de seus pacientes.

Gennadiy também acredita que a inovação pode mudar o paradigma do tratamento de doenças, seja de crioprecipitado para tratamento com concentrado de FVIII, ou de plasma fresco para concentrados de complexo de protrombina. “Há 30 anos, usávamos apenas hemocomponentes, como crioprecipitado, plasma fresco congelado ou concentrado de plasma nativo”, lembra. Tudo mudou agora. “Por exemplo, em nossa UTI de oncohematologia, nos últimos dois anos temos usado o concentrado de complexo de protrombina (CCP) de 4 fatores da Octapharma, que contém fatores de coagulação II, VII, IX e X para pacientes com doenças hemorrágicas," ele explica. “O uso do concentrado de complexo de protrombina de 4 fatores da Octapharma é mais rápido, seguro e logisticamente mais simples do que nossa única outra opção: transfusão de plasma. Recentemente, tivemos um caso de intoxicação por rodenticida onde, graças a este produto, salvamos a vida de vários pacientes.”

Reflexão e aprendizagem tornaram-se meus hábitos de trabalho

Quanto mais especialista você se torna, mais sua expertise é solicitada e talvez não seja surpresa que muitos médicos - incluindo o professor Galstyan - também sejam professores apoiando a melhoraria da educação médica na Rússia. Além de atender pacientes, ele atua academicamente no Instituto de Educação Pós-Diploma em Anestesiologia e Terapia Intensiva, Centro Médico de Pesquisa do Estado de Burnasyan, Agência Médico-Biológica Federal da Rússia. “Faço pesquisas científicas, bem como checagem de recursos e escrevo publicações, além de apresentações em congressos, diz Gennadiy. “É gratificante ajudar a treinar a próxima geração de médicos, assim como meus mentores fizeram ao passar conhecimentos para mim e compartilhar conhecimentos com meus colegas”, acrescenta. “Se você me perguntar quem me inspirou mais na vida, eu diria meus professores de medicina.”

Keywords

Medicina Intensiva

Relatório Anual